4 passos para ser assistente virtual * Como ser assistente virtual

4 passos para ser assistente virtual

4 passos para ser assistente virtual

Os 4 passos para ser assistente virtual são: ter autoconhecimento, identificar as habilidades que possui, definir os nichos de clientes que pretende atender e saber onde estão esses clientes.


Ser assistente virtual é muito mais do que trabalhar de forma remota, é criar o seu próprio trabalho e se reinventar a cada dia.

A assistência virtual está cada vez mais em alta, mas ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto. Muitas pessoas sonham trabalhar em home office, pesquisam formas de fazer isso, encontram a assistência virtual, mas ficam com medo de investir na área. Isso é muito comum, principalmente pelo fato de ser um assunto relativamente novo e que implica em sair da zona de conforto.

Quando passa a fase do medo, é chegada a hora de tomar coragem e investir em conhecimento. Muitas pessoas que investiram no ramo da assistência virtual, alcançaram um objetivo comum que é a realização profissional. Isso sem contar na liberdade que esse tipo de trabalho proporciona, dentre tantos outros benefícios.

O trabalho de assistente virtual é empolgante e proporciona liberdade para estar perto da família e flexibilidade de horário para ter mais qualidade de vida!

 

Como surgiu a Assistência Virtual?

Até pouco tempo atrás, a assistência virtual existia apenas nos países mais desenvolvidos como Estados Unidos, Canadá e algumas regiões da Europa. Com o avanço da tecnologia, novas ferramentas, programas e aplicativos foram criados, permitindo a consolidação do trabalho remoto também no Brasil. Uma das primeiras pessoas que identificou essa oportunidade e dedicou-se a conhecê-la melhor, foi a empreendedora e especialista em autonomia profissional Camile Just.

Camile era gerente de loja de shopping, mas como não tinha tempo para curtir a filha, decidiu mudar radicalmente sua vida. Aproveitou o período de férias, tentou procurar trabalhos em que tivesse os finais de semana livres, mas ela se deparou com salários muito abaixo do que recebia como gerente.

Foi então que Camile começou a pensar em como utilizar suas habilidades para trabalhar de forma mais livre e rentável. Estudou bastante e leu alguns livros que a inspiraram a criar o seu próprio trabalho. Elaborou seu próprio Canvas e Proposta de Valor, começou a participar de eventos e a ir atrás de clientes com os quais pudesse prototipar seus serviços.

Vencendo a timidez, Camile conseguiu clientes com diferentes demandas, desde controle financeiro até o preenchimento de pesquisas do Sebrae. Dessa maneira, Camile foi uma das primeiras a consolidar a carreira de assistente virtual no Brasil e não parou por aí.

Além de trabalhar como assistente virtual e ajudar muitas pessoas com suas demandas de trabalho, Camile também teve a ideia de criar um curso online com todo o passo a passo que fez para ser uma assistente virtual. Dessa maneira surgiu o curso Como Ser Assistente Virtual, cujo objetivo é formar mais pessoas para atender as demandas crescentes.


O mercado de assistentes virtuais

O objetivo desse artigo é sanar as dúvidas sobre como ser assistente virtual, mas antes de falarmos sobre isso, é importante conhecer alguns fatores que envolvem o mercado de trabalho atual.

Todos nós fomos criados para o trabalho formal e para ter formação acadêmica. No entanto, a mudança da era industrial para a era digital fez com que ocorressem diversas transformações nas formas de trabalho.

A economia digital ou Gig economy, fez com que ocorressem muitas mudanças sociais, inclusive na forma de trabalhar, pois as pessoas estão buscando mais autonomia profissional. As crises econômica, ética e moral, ocorridas recentemente, embora trágicas, favoreceram essas mudanças. Com as vagas de empregos formais diminuindo drasticamente, as pessoas tiveram que buscar outras formas de ganhar dinheiro.

A transformação para a economia digital está fazendo com que os modelos de negócios empresariais, industriais e comerciais mudem para adequarem-se às novas demandas. Pode ser que novos postos de trabalho surjam, mas também é possível que os já existentes tornem-se cada vez mais obsoletos.

Por isso, é necessário passar por uma transformação de modelo mental e estar preparado para a nova economia digital, onde criar o próprio trabalho trará forças para superar qualquer crise, passível de acontecer novamente.

Falando em criar o próprio trabalho, o mercado de assistentes virtuais é bem amplo e a cada dia novas habilidades são desenvolvidas, aumentando ainda mais o escopo de serviços de quem deseja trabalhar remotamente. No entanto, podemos dividir a Assistência Virtual em 4 áreas principais, para que se possa explicar melhor:


1. Administrativo

O assistente virtual administrativo realiza toda a parte de backoffice, realizando atividades burocráticas de escritório, seja de uma empresa, empreendedor ou pessoa física. No caso dos empreendedores, eles também possuem um escopo muito amplo, pois podem ser palestrantes, coach, professor particular, terapeuta holística, produtora de marmita fit, etc. 

Para todos eles, os assistentes virtuais poderão realizar atividades como responder e-mails, tratar com fornecedores, atender clientes, responder comentários de clientes nas redes sociais e demais serviços administrativos.


2. Financeiro

No post sobre as 5 tendências para 2019, a área financeira aparece como destaque, pois houve um aumento na procura de profissionais dessa área, principalmente por Consultores Financeiros. De acordo com algumas pesquisas, pessoas e empresas estão buscando esse tipo de serviço, pois perceberam a necessidade de se organizar financeiramente para melhorarem seus negócios ou sua vida pessoal. 

Sendo assim, um assistente virtual financeiro poderá fazer emissões de boletos, contas a pagar e receber, emissão de notas, fluxo de caixa, ou seja, tudo o que é feito por um assistente financeiro fisicamente em uma empresa, pode ser feito pelo assistente virtual que tiver habilidades nessa área. 


3. Atendimento e Relacionamento com o Cliente

Quem gosta de trabalhar com atendimento ao cliente, poderá realizar atividades voltadas para o SAC 2.0, que utiliza as novas ferramentas e aplicativos para fazer pesquisa de satisfação e relacionamento com o cliente. 

O assistente virtual que optar por estes serviços, poderá realizar pesquisas por telefone, chat ou whatsapp, responder comentários, ouvir sugestões, sanar dúvidas e solucionar os problemas dos clientes das empresas que contratarem seus serviços.

Dentro dessa área, um dos serviços mais procurados é o de prospecção de clientes, pois muitas pessoas e empresas não sabem ou não tem tempo para vender e prospectar. Outra demanda muito importante é o follow up e o pós vendas, em que os assistentes entram em contato com fornecedores para verificarem pedidos pendentes e com os clientes para fazer a pesquisa satisfação após as vendas. 

Além disso, tem também os serviços de programação de “chat boots”, nos quais robôs programados respondem aos clientes via chat com as perguntas frequentes. Em determinado momento, quando o atendimento precisa ser humanizado, aí sim é direcionado para o assistente virtual. 


4. Secretariado Remoto

Esse foi um dos serviços pioneiros da área remota. Por isso, quem tem experiência como secretária, pode atender vários clientes ao mesmo tempo, realizando diversas atividades online. Lembrando que para essa área é recomendável que a pessoa tenha formação em Secretariado.


Marketing Digital

Apesar de não estar entre as 4 principais áreas da divisão da Assistência Virtual, o Marketing Digital está envolvido em cada uma delas, pois vem se mostrando um serviço cada vez mais necessário, seja para empresa ou cliente.

O uso das redes sociais para a divulgação de produtos e serviços tem crescido bastante, pois muitas empresas e empreendedores precisam divulgar seus negócios. Para isso, eles precisam do suporte de pessoas especializadas no assunto e, hoje em dia, existem vários cursos voltados para o Marketing Digital.

Por isso, quem deseja ser assistente virtual, mas também gosta de Marketing Digital, poderá conseguir muitos clientes se especializando no assunto. Dentre os serviços prestados pelo profissional da área estão: publicação de posts, legenda, transcrição de webnários, redação de ebooks, edição de imagens e vídeos, etc.


4 passos para ser assistente virtual

Assistente Virtual não precisa prestar todos os serviços. O ideal é escolher o que mais gosta de fazer, pois o momento é de sonhar…

E finalmente chegando ao tópico principal, vamos às dicas para quem realmente quer ser um ou uma assistente virtual.


1º passo – Autoconhecimento

Esse é o passo mais importante para quem quer entrar no ramo da Assistência Virtual, pois é impossível fazer uma transição de carreira sem conhecer a si mesmo. Você não vai conseguir atender bem aos clientes, se não se conhecer muito bem. Por isso, veja as dicas de quem já tem experiência na área:

  • Faça uma lista das tarefas que fazia antes e veja qual delas mais gosta de executar;
  • Veja quais são suas experiências e habilidades;
  • Olhe para você mesmo, conheça a si próprio e saiba quais são os seus limites;
  • Comece com o que você domina para só depois aprender novas habilidades.


2º passo – Identificar as habilidades com as quais deseja trabalhar

A partir da lista com as habilidades, experiências e tarefas que mais gosta de realizar, defina quais desses serviços irá prestar. Com base nessa definição, ficará mais fácil elaborar a sua apresentação.


3º passo – Definir os nichos de clientes que pretende atender

A partir das atividades que gosta de fazer e dos serviços que quer prestar, escolha pelo menos 3 nichos de clientes que pretende atender. Por exemplo: dentistas, médicos, advogados… Esse passo é muito importante para que você possa desenhar uma comunicação adequada e assertiva para cada um deles.


4º passo – Como conseguir clientes?

Avalie onde estão os teus clientes. Para vender algo, é necessário criar um relacionamento com o teu cliente e para conseguir isso, é necessário ter muita segurança nos serviços que irá prestar. Dê o primeiro passo, fale para as pessoas que o que você está fazendo, ofereça seus serviços e vá onde os seus clientes estão.

Perceba onde estão os teus clientes e como pode interagir com eles. Para criar um bom relacionamento com os clientes, ouça as dores deles e conte como você pode ajudá-los. Quais são as dificuldades dos teus clientes? Apresente-se a eles!

Esses 4 passos são os que a Camile Just usou quando decidiu empreender sozinha e tornar-se uma assistente virtual. O curso Como Ser Assistente Virtual é dividido em 4 módulos, pois foi baseado nesses passos.


Dúvidas sobre como ser assistente virtual

Muitas pessoas sonham em trabalhar na área remota, até conhecem a Assistência Virtual, mas travam no meio do caminho justamente por estarem em dúvida sobre a profissão. Para finalizar esse artigo, separamos algumas das principais dúvidas sobre como ser assistente virtual:


Qual equipamento utilizar e como montar?

Começa com o que tem em casa, computador, celular e internet. Recomenda-se fazer cartão de visita e, com o tempo faz site, redes sociais e e-mail corporativo.

Sobre as ferramentas de trabalho, existem muitas e é impossível conhecer todas. Por isso, é importante saber com o que pretende trabalhar e procurar se especializar.


Qual o tempo de duração do curso Como Ser Assistente Virtual?

O curso tem 4 módulos, liberados a cada 7 dias. É possível concluir o curso em 35 dias, mas o acesso permanece durante 1 ano.


Precisa ter formação para entrar no curso?

Não precisa ser formado para fazer o curso, mas precisa ter competência para realizar o trabalho.


O que é tratado dentro do curso?

O curso é dividido em 4 módulos, os quais são baseados nos 4 passos explicados anteriormente:

  1. Autoconhecimento (Conhecer a si mesmo e identificar as habilidades);
  2. Como criar e modelar o negócio (pesquisa com clientes);
  3. Prática, criação do MEI, como cobrar, como calcular o preço, ferramentas para trabalhar online;
  4. Comunicação, como prospectar clientes por telefone e redes sociais.

Além disso, são disponibilizados webnários de especialistas em várias áreas, encontros semanais online com as alunas e grupos privados para trocar experiências.


Quais são as dificuldades iniciais das assistentes virtuais após o curso?

As dificuldades iniciais estão ligadas ao comportamental e às atitudes tomadas diante das situações, como por exemplo os “nãos” da vida.

Outra dificuldade no início é a própria família. Muitas pessoas não conseguem apoiar no início, justamente por não ter a segurança de que esse tipo de trabalho é seguro. Por isso é muito importante ter uma rede de apoio.


Como oferecer os serviços e como cobrar?

Não existe certo ou errado. É possível cobrar por hora, por projeto, por serviço, etc. A periodicidade pode ser mensal ou pontual, conforme acordado entre as partes. A forma de pagamento mais recomendada é o boleto, pois é melhor para controlar.


Como conseguir clientes?

A principal maneira de conseguir clientes é entender as dores das pessoas e definir os nichos para descobrir onde eles estão. Participando de eventos, criando relacionamentos, indo atrás dos clientes e ouvindo o que eles precisam. Afinal, tem sempre alguém precisando do que você sabe fazer de melhor!


Como mudar a cultura de uma cidade tradicional e ainda passar segurança?

A primeira dica é ter “cases”. Comece a contar para as pessoas os atendimentos feitos por você. Conte sobre quem atendeu, como atendeu, mostre o que faz. Atenda o primeiro cliente e mostre para o mundo.


Como compensar férias, 13º, FGTS, etc?

A recomendação é criar uma planilha e incluir esses valores para se programar. Colocar esses valores no cálculo do preço / hora. No curso há um módulo onde é compartilhada uma planilha para fazer esses cálculos.


Como elaborar um contrato de trabalho?

É importante colocar quais são as responsabilidades do cliente e quais são as suas obrigações. No curso Como Ser Assistente Virtual, existe um modelo de contrato disponível. 


Quais redes sociais criar?

Depende de onde está o seu cliente (Facebook, Instagram, Linkedin…). É necessário ver o que funciona e ver se o seu nicho específico está nela.


Qual atividade de MEI se encaixa com a Assistência Virtual?

Essa informação está no vídeo Tudo sobre MEI com a empresa Qipu.


Posso encaixar esse tipo de serviço na área de advocacia?

Sim e deve. Serviços como follow up com clientes e trâmites que envolvem uma comunicação específica, podem ser realizados de forma remota.


Pode atender fora da cidade e qual equipamento utilizar para atendimento telefônico e agendamento de clientes?

Sim, pode atender fora, mas é bom começar local, apresentando seus serviços na sua região.

O equipamento para atendimento telefônico e agendamento de clientes é o Voip.


Livros indicados

7 hábitos das pessoas altamente eficazes

Trabalhe 4 horas por semana

Essas foram as principais dicas e informações para quem está na dúvida de entrar na área da Assistência Virtual. Se quiser obter mais informações, acesse nossa Home e preencha o formulário para receber dicas exclusivas para você.

Esperamos que tenham gostado e até a próxima!