Dicas para conciliar o trabalho remoto e a maternidade * Como ser assistente virtual

    Dicas para conciliar o trabalho remoto e a maternidade

    Dicas para conciliar o trabalho remoto e a maternidade

    O Dia das Mães está chegando e, para homenageá-las, separamos algumas dicas para conciliar o trabalho remoto e a maternidade!

    Sabemos o quanto tornou-se necessário empreender, principalmente quando a maternidade bate à porta. No mundo em que vivemos hoje, é cada vez mais forte o desejo das mães estarem próximas dos seus filhos. No entanto, as condições financeiras da maioria delas não permitem que elas parem de trabalhar para cuidar dos seus filhos. Outras ainda, optam por trabalhos que proporcionam a autonomia profissional de poder trabalhar e desfrutar da maternidade.

    Seja por necessidade financeira ou pelo desejo de continuar no mercado de trabalho, ser mãe e trabalhar ao mesmo tempo não é uma tarefa fácil. No entanto, existem mamães que tiram de letra e fazem acontecer cumprindo algumas regrinhas básicas. Porém, isso requer muita disciplina e consistência, principalmente por envolver crianças e demais pessoas da família.

    Por isso, se você é mãe e tem o sonho de empreender ou se você já ingressou nessa jornada dupla e quer saber como conciliar o trabalho remoto e a maternidade, acompanhe essas dicas que separamos especialmente para você!

     

    Aprendendo a ser mãe

    Apesar do título do tópico ser “Aprendendo a ser mãe”, ninguém é capaz de ensinar o que uma mãe deve fazer pelo seu filho. Isso é aprendido naturalmente e é despertado à medida que a criança começa a ser formada dentro do seu ventre, através de um sentimento chamado Amor… Mas não qualquer amor e sim um amor mais forte, incondicional e inexplicável, ao qual damos o nome de Amor Materno.

    Há quem diga que o Amor Materno surge a partir do momento em que o feto é concebido, mas infelizmente esse sentimento não acomete a todas as mulheres da mesma forma. Isso porque, algumas delas, acabam engravidando por descuido ou acidente e não conseguem desenvolver esse sentimento logo no início. Outras até esperam pela chegada da criança, mas por alguma circunstância, acabam sofrendo uma depressão pós-parto e interrompem involuntariamente o amor que sentiam por um sentimento abstrato e até mesmo perigoso…

     

    …Mas o Amor sempre vence!

    Felizmente, na maioria dos casos, o Amor sempre vence e é sobre essa fração que iremos falar. Muitas das nossas mães e avós foram criadas para não trabalhar e ficar em casa criando seus filhos. O contato diário com as crianças era integral e essa rotina era passada de mãe para filha, onde elas aprendiam como cuidar da casa, das crianças e da família.

    O avanço da modernidade e as manifestações por direitos iguais, fizeram com que muitas mulheres reivindicassem o direito de trabalhar fora. No entanto, a conquista desse direito trouxe algumas consequências ruins para a rotina dos lares, principalmente na criação dos filhos.

    Sabemos que esse quadro está mudando e que muitos maridos ajudam suas esposas nos afazeres domésticos. Porém, o número de mulheres que trabalham fora e precisam cuidar de tudo sozinhas, ainda é muito grande. Existem muitas guerreiras que dão conta do recado e tiram de letra a missão de ser mãe e empreendedora ao mesmo tempo, enquanto outras ainda precisam de ajuda.

     

    A Tecnologia a favor da mamães!

    Uma solução que veio para ajudar não só as mamães foi a Tecnologia que, apesar de ser vista como algo ruim por aqueles que não sabem usufruir muito bem dela, tornou-se item essencial. A medida que a tecnologia avança, mais facilidades surgem em nossas vidas. A que mais se aplica às mamães empreendedores é a possibilidade de trabalhar em casa, tendo a chance de acompanharem mais de perto o crescimento de seus filhos.

    O trabalho remoto não é algo tão novo assim, mas desde quando foi criado até hoje, houve muitas melhorias fazendo com que ele se tornasse cada vez mais possível. Qual é a mãe que não sonha em trabalhar em casa, não pegar trânsito, fazer seu próprio horário, ter mais tempo para cuidar da saúde, da família e dos filhos?

    Trabalhar em casa é o sonho de muitas pessoas, principalmente das mulheres que são mães ou desejam ser um dia. No entanto, para conciliar esses dois fatores, é necessário seguir a metodologia de quem já passou por essa experiência. Com base nisso, separamos algumas dicas para ajudar mulheres que são mães ou desejam ser, a conciliar o trabalho remoto e a maternidade.

     

    Dicas para conciliar o trabalho remoto e a maternidade

    Com base em suas próprias experiências, algumas mamães empreendedoras desenvolveram técnicas e ferramentas para ajudar outras mães. Separamos as principais dicas para conciliar o trabalho remoto e a maternidade:

    • Organização do Tempo;
    • Ter uma rede de apoio;
    • Definir o momento de trabalho;
    • Definir um tempo exclusivo para a criança;
    • Fazer um quadro de rotinas com a criança;
    • Ter consistência;
    • Ser firme e gentil;
    • Cumprir o prometido;
    • Exercer os 4 passos da cooperação;
    • Entender os sentimentos da criança/adolescente;
    • Envolver as crianças e os adolescentes nas tarefas de casa.

     

    Organização do Tempo

    Esse tópico vale para todas as pessoas, independente de serem mães assistentes virtuais ou não.

    É impossível ser bem sucedida em qualquer atividade ou profissão sem uma rotina de horários organizada com objetivos e metas. Planejar e organizar para conseguir a cooperação das crianças e demais envolvidos no bom funcionamento da casa, é fundamental

    Para isso, defina primeiramente um momento tranquilo para você criar uma agenda semanal, pode ser no domingo à noite, por exemplo. Coloque na sua agenda semanal, todas as atividades que precisam ser realizadas no decorrer da semana, inclusive com o tempo para execução de cada uma delas. Inclua nesse planejamento as atividades das crianças, marido e demais integrantes da família, se possível copiando-os para que eles também possam se organizar.

    No caso das crianças será necessário criar um quadro de rotinas exclusivamente para elas, como veremos nos tópicos a seguir.

     

    Ter uma rede de apoio

    Uma rede de apoio pode ser composta por marido, família, amigos, ou mesmo a própria escola da criança. Esse passo é necessário, pois é preciso assumir que não é possível fazer tudo sozinha. Por isso, aprenda a delegar atividades que tomam tempo e que fazem com que o essencial seja prejudicado. Relacione-se com pessoas com quem possa contar em todos os momentos e que possa ser a sua rede de apoio. Isso é libertador!

     

    Definir um momento de trabalho

    Esse tópico também é muito importante, pois o fato de trabalhar em casa confunde um pouco as crianças. Elas não têm noção de tempo, portanto não adianta dizer que não é hora de brincar com elas.

    O mais indicado é dizer que o momento delas será logo após alguma atividade que faz parte da rotina delas, como por exemplo, o lanche da tarde. A criança não sabe a hora do lanche da tarde, mas sabe que em algum momento ele acontecerá. Dizer a ela que o momento de vocês ficarem juntos será após o lanche da tarde, fará com que ela aprenda a respeitar e esperar por ele.

    Claro que no começo será difícil, mas é preciso ter consistência para fazer desses hábitos uma rotina. A sugestão é separar alguma atividade criativa e que a criança goste, para ela fazer nos momentos em que você precisa trabalhar. Nada de celular, tablets e eletrônicos, pois esses aparelhos estimulam ainda mais a ansiedade nas crianças. Procure oferecer massinhas, desenhos e pinturas, por exemplo.

     

    Definir um tempo exclusivo para a criança

    O tempo exclusivo, é o momento de conexão entre mães e filhos. Por isso, nada de celular, TV, computador, etc. Faça desse um momento único entre vocês. Sente-se ao chão com seu filho, olhe nos olhos dele, brinque com ele, dedique esse tempo especialmente para ele. Mesmo que seja por alguns minutos, meia hora ou mais, cumpra com o combinado e seja consistente. Segundo especialistas, essa prática transmite segurança e estimula a cooperação da criança.

     

    Fazer um quadro de rotinas com a criança

    A criança não sabe o que é horário, mas um quadro de rotinas fará com que ela visualize graficamente os momentos exclusivos. Utilize uma cartolina e envolva a criança na execução. Se ela for muito pequena, faça desenhos representativos de vocês juntos, logo após os momentos que ela já conhece.

    Caso ela queira atenção enquanto estiver trabalhando, tente pedir gentilmente para ela olhar o quadro. Em seguida, peça para ela localizar o momento em que vocês ficarão juntos. Parece humanamente impossível cumprir essa missão, mas especialistas garantes que com consistência, o sucesso é garantido.

     

    Ter consistência

    Conseguir a cooperação das crianças não é uma tarefa fácil, mas o segredo para conseguir é a consistência. De acordo com especialistas em Disciplina Positiva, a criança possui um ritmo interno de 21 dias para internalizar um novo hábito. Por isso, diante de um novo hábito a ser aprendido, não desista, tenha coragem, disciplina e seja firme.

     

    Ser firme e gentil

    Isso significa fazer a comunicação de forma clara, objetiva, assertiva, firme, mas de maneira gentil. Ou seja, sem gritar, ofender ou ameaçar a criança, mas ao mesmo tempo sem ser permissiva demais. Essa prática deve ser adotada não só com as crianças, mas também com outras pessoas da casa.

    Muitas vezes, as pessoas entram no ambiente de trabalho com algum problema urgente para resolver. Nesses casos,  é necessário ter firmeza e explicar gentilmente que não é o momento certo para tratar do assunto. Veremos mais sobre essa dica nos 4 passos da cooperação.

     

    Cumprir com o prometido

    Esse tópico é extremamente importante para que crianças, adolescentes e adultos sintam segurança na sua fala. Eles precisam entender que a rotina deve ser levada a sério, aconteça o que acontecer.

    É normal sentir-se cansada para brincar com seu filho no momento combinado ou amolecer diante de um apelo. No entanto, se a “quebra” no acordo for constante, o trabalho todo poderá ir por água ou “lágrimas” abaixo.

     

    Exercer os 4 passos da cooperação

    Para obter a cooperação das pessoas e ao mesmo tempo poder cooperar com elas, siga os 4 passos da cooperação:

    • Acolha o sentimento – No momento em que a criança ou outra pessoa interromper o seu trabalho, ouça o que ela tem a dizer;
    • Aplique a empatia – Coloque-se no lugar dela e diga que você sabe o que ela está sentindo;
    • Compartilhe o sentimento em comum – Diga a ela que você também está passando ou já passou pelo mesmo problema;
    • Buscar juntos uma solução – Pergunte à pessoa ou criança: “Como podemos resolver isso juntos?” Isso irá acalmar a criança ou adulto que vier falar com você num momento inoportuno.

     

    Entender os sentimentos da criança/adolescente

    “Por trás de toda atitude existe um sentimento…”

    Quando a criança ou adolescente mudar o comportamento repentinamente, procure entender qual sentimento está por trás dessa mudança. Daí então, converse com ele ou ela, aplicando as demais dicas, principalmente os 4 passos da cooperação.

     

    “Comunicação não é o que a gente fala, é o que o outro recebe…”

    As crianças são extremamente sensíveis e, muitas vezes, o comportamento delas é influenciado pelo modo como estamos internamente. Por isso, é muito importante acalmar-se antes de cobrar que a própria criança comporte-se do jeito que você quer. Perceba como está o seu interior, assuma os erros, coloque-se numa posição vulnerável e peça desculpas quando errar. Dessa forma, ele ou ela seguirá o seu exemplo naturalmente, sem cobranças, desgastes ou pressão.

     

    Envolver as crianças e os adolescentes nas tarefas de casa

    E por último, mas não menos importante, envolva as crianças e os adolescentes nas tarefas do lar. Redirecione-os para atividades mais produtivas como lavar a louça, varrer a casa, tirar o lixo, preparar as próprias refeições… Tudo isso gerará um senso de utilidade e responsabilidade neles. No entanto, isso deve ser feito desde pequenos para que seja mais fácil e natural internalizar o hábito da cooperação!

     

    “O caminho para educar um filho é a autoeducação!”

    Esperamos que tenham gostado dessas dicas e um Feliz Dia das Mães para todas!