"Só me senti segura mesmo quando encontrei o curso Como Ser Assistente Virtual." * Como ser assistente virtual

“Só me senti segura mesmo quando encontrei o curso Como Ser Assistente Virtual.”

Karla Peterlini

Os depoimentos das alunas do curso Como Ser Assistente Virtual, deixam claro o quanto essa profissão possibilita às mulheres, principalmente as que se tornaram mães, a continuarem ativas no mercado de trabalho!

Iniciamos a série de depoimentos em comemoração aos 2 anos de curso, no dia 6 de março, com o depoimento da Mari Antiquera. De lá para cá, só vemos relatos de mulheres que se redescobriram após virarem mães.

Com a Karla Peterlini não foi diferente. Vejam o que ela conta em seu depoimento sobre o curso.

 

Depoimento Karla Peterlini

Olá, meu nome é Karla, sou formada em Comunicação Institucional e meu último emprego CLT foi em um grande grupo empresarial de Curitiba.

Até que em abril de 2018 nasceu minha filha. A licença maternidade e o desejo de poder continuar cuidando dela cresceu. Aliado com a falta de creches públicas e de uma rede de apoio que pudesse me ajudar enquanto trabalhava fora.

Foi aí que meu marido e eu decidimos, sem outra opção, que eu sairia do trabalho. Comecei a busca por atividades que pudesse realizar em casa, para poder continuar contribuindo com a renda familiar.

Então começou a aparecer para mim, de diversas formas, a profissão de assistente virtual. Até considerei que pudesse ser um sinal divino, e resolvi pesquisar sobre.

Conversei com algumas profissionais da área que me ofereceram consultoria, acompanhamento online, e outras formas de apoio.

Só me senti segura mesmo quando encontrei o curso Como Ser Assistente Virtual, da Camile Just.

Com uma parte do acerto da empresa, comprei o curso e comecei a me dedicar. Terminei em 1 mês, setembro do mesmo ano. Prototipei com alguns conhecidos e indicações, e desde novembro tenho 2 clientes fixos e realizo alguns trabalhos esporádicos.

O curso veio para me mostrar que sou capaz de continuar aplicando tudo que aprendi nos anos de emprego de carteira assinada. Porém, agora em casa, me dedicando também à criação da minha filha e acompanhando seu crescimento.