Assistente virtual é freelancer? Entenda as diferenças!

Publicado em: 6/08/2021

O mercado de trabalho tem se transformado constantemente, fazendo com que surjam novos formatos e jeitos de trabalhar. Mas um que com certeza você já ouviu falar é o formato freelancer. Será que é nessa modalidade em que assistentes virtuais se encaixam? Vamos falar das diferenças.

Com a crise econômica acarretada pela pandemia, muitas pessoas tiveram a renda reduzida e tiveram que procurar renda extra em trabalhos sem vínculo empregatício. Assim, encontraram no freelancer a alternativa para enfrentar a situação do mercado.

Atualmente, o trabalho freelancer é uma tendência, assim como a “pejotização”. Mas este último ainda requer o contrato estabelecido entre as partes, ambas formalizadas como empresas (o termo pejotização vem da vinculação entre CNPJs) para funcionar. Já o freelancer é um profissional liberal, sem vínculo formal com as empresas e que pode prestar serviços de forma pontual ou recorrente.

Assistente virtual é freelancer?

A resposta é: depende. Pode ser que a demanda seja por curto período de tempo, realizando demandas pontuais, ou frequentes, quando a tarefa é recorrente, ou seja, quando é uma tarefa que deverá ser feita com frequência diária, semanal ou mensal.

Para ter segurança, as Assistentes virtuais podem se vincular a empresas como PJ. Para isso, é necessária a formalização, ou seja, criação de um MEI. Já explicamos neste post todo o passo-a-passo para se tornar microempreendedor individual.

Quem está começando na carreira de Assistente Virtual pode oferecer seu trabalho por um breve período de tempo no formato freelancer; assim, é possível realizar um teste sem a preocupação com quebra de contrato e o comprometimento a longo prazo em uma parceria que pode não dar certo. Isso é interessante para ambos os lados envolvidos na parceria sentirem se querem continuar!

No início da carreira, prototipar seus serviços como assistente virtual é a chave para saber a quantidade de trabalho a ser realizado, a precificação, entre outros fatores, como por exemplo a necessidade de qualificação para determinados nichos que você deseja atuar como assistente virtual.

Explicamos melhor sobre a importância de escolher um nicho de mercado e como isso é um erro comum de muitos assistentes virtuais que estão começando.

Diferenças entre Assistência Virtual e o Trabalho Freelancer

As características mais comuns do trabalho freelancer:

Vantagens de trabalhar como assistente virtual:

  1. Trabalhar de casa;
  2. Flexibilidade de horários;
  3. Versatilidade de nichos e serviços de atuação;
  4. Atender mais de um cliente, aumentando a sua renda;
  5. Investimento baixo ou zero pra começar;
  6. Autonomia para trabalhar de onde quiser e atender a mais de um cliente.

Viu como em alguns aspectos você também pode atuar como freelancer, mesmo sendo assistente virtual? Isso porque freelancer é um formato de trabalho, mas AV é uma profissão.

Por isso, a partir do momento em que você conquistar seus primeiros clientes fixos como assistente virtual, o ideal é abrir seu MEI, garantir direitos previdenciários e previstos por contrato, dando mais segurança para trabalhar e ainda assim mantendo as vantagens do freelancer.

Se preparando para o mercado de assistência virtual

A profissão de assistente virtual está crescendo muito no Brasil. Já atrai milhares de pessoas que encontraram na profissão a possibilidade de mesclar as vantagens do freelancer com a versatilidade de poder executar vários serviços, utilizando seus talentos como ferramenta principal para crescer na profissão.

Você se interessou e quer criar seu próprio trabalho como AV? Conheça a Formação mais completa do mercado: Clique aqui e saiba mais!

Publicações relacionadas