Assistente virtual: a profissão que te liberta do escritório e da CLT

Profissão AV

A assistência virtual surgiu no Brasil por volta dos anos 2000, impulsionada principalmente pelo avanço da tecnologia e o crescimento do trabalho remoto. Antes disso, esse tipo de serviço existia apenas nos países mais desenvolvidos como Estados Unidos, Canadá e algumas regiões da Europa. 

Com o aumento do acesso à internet banda larga, o barateamento de computadores e softwares, e surgimento de novas ferramentas online, abriu-se a possibilidade de se trabalhar a distância também no Brasil.

Uma das primeiras pessoas a enxergar essa oportunidade e se dedicar a entender esse novo modelo de trabalho fui eu, Camile Just. 

Eu trabalhava como gerente de loja em um shopping center, mas como não tinha tempo para curtir a minha filha pequena, decidi mudar radicalmente de vida. Aproveitei um período de férias para buscar trabalho com horários mais flexíveis, porém os salários eram muito menores do que eu ganhava como gerente.

Foi então que comecei a pensar em formas de usar minhas habilidades para trabalhar remotamente, de forma independente e rentável. Iniciei os  estudos sobre o assunto, li livros para me inspirar e criei meu próprio modelo de negócio como assistente virtual, elaborando canvas e proposta de valor.

Fui atrás de clientes, participei de eventos, deixei a timidez de lado e consegui prototipar meus serviços com demandas variadas, desde controle financeiro até preenchimento de pesquisas. Dessa forma, me tornei uma das precursoras em consolidar a carreira de assistente virtual no país.

Além de trabalhar com clientes, também criei um curso online ensinando todo o passo a passo que fiz para me tornar assistente virtual e ser bem sucedida na carreira. Esse curso ajuda a disseminar esse novo modelo de trabalho e formar mais profissionais para atender a demanda crescente por esses serviços.

 

O mercado de assistentes virtuais

Antigamente, a maioria dos profissionais atuavam em grandes empresas, com jornadas fixas de 8 horas por dia e contratos de trabalho formais. Hoje, esse cenário mudou bastante. 

As empresas estão cada vez mais enxutas, reduzindo seu quadro de funcionários. Ao mesmo tempo, cresceu muito o trabalho autônomo, freelance e remoto.

Essas mudanças aconteceram por diversos motivos. 

A tecnologia permitiu que muitas atividades pudessem ser realizadas a distância, sem a necessidade de ir todos os dias para um escritório físico. Além disso, muitas pessoas passaram a priorizar mais qualidade de vida e liberdade no trabalho, do que a estabilidade de um contrato formal.

Diante desse cenário de transição da economia industrial para a digital, é importante que os profissionais estejam preparados para se adaptar. Ter habilidades técnicas e comportamentais para o trabalho remoto é essencial nesse novo contexto.

A área que surgiu e cresceu muito com essas mudanças foi a de assistentes virtuais. O trabalho desses profissionais consiste em prestar serviços de apoio administrativo, financeiro, secretariado, entre outros, de forma 100% remota.

É importante que você leia Como enfrentar as crenças que paralisam seus resultados na carreira de AV?

 

As principais áreas de atuação de um assistente virtual são:

Administrativo: realiza atividades de rotinas administrativas, como gestão de e-mails, controle de agenda, atendimento telefônico, entre outras.

Financeiro: responsável por tarefas como emissão de boletos, contas a pagar e receber, controle de fluxo de caixa, conciliação bancária.

Secretariado: agenda compromissos, organiza viagens, presta serviço de transcrição, entre outras atividades de secretária virtual.

Essas são as 3 principais frentes de atuação de um assistente virtual nos dias de hoje. Conhecer bem esse mercado é fundamental para quem deseja trilhar uma carreira promissora.

 

Dúvidas frequentes sobre o universo da AV

1- É necessário ter graduação específica?

Não, mas algumas habilidades são importantes como organização, pontualidade, proatividade e facilidade para aprender novas ferramentas. Conhecimentos em informática, finanças, marketing e vendas também são um diferencial. 

O mais indicado é fazer um curso focado em assistência virtual para aprender todo o passo a passo da profissão. Você pode aprender com o curso mais respeitado do mercado clicando AQUI.

2- É preciso se conectar com outros profissionais da área?

Estar em ambientes, sejam físicos ou digitais, com outros AVs, possibilita que novas oportunidades de projetos, clientes, e mesmo tendências de mercado cheguem mais rápido até você, e isso faz a sua carreira crescer de forma mais rápida.

3- Como conquistar clientes?

Ter uma boa apresentação e comunicação, mostrar casos de sucesso, cobrar preços competitivos, fazer um portfólio, criar conteúdo de valor nas redes sociais, investir em divulgação focada no público-alvo e criar pacotes promocionais para conquistar os primeiros clientes. 

O networking e indicações também ajudam muito nessa fase inicial.

4- Quanto é possível faturar como AV?

O faturamento varia de acordo com a demanda, especialidade, portfólio e tempo de atuação na área. Em média, os assistentes virtuais cobram entre R$800 a R$2000 por contrato.

Existem algumas opções, como: cobrar por hora trabalhada, fazer pacotes mensais de horas, cobrar por projeto específico ou vender assinaturas mensais para clientes frequentes. 

O ideal é testar alguns modelos e ver qual funciona melhor para seu negócio e perfil de cliente. Taxas fixas ajudam a ter previsibilidade nos ganhos.

Leia também Como enfrentar as crenças que paralisam seus resultados na carreira de AV? 

5- Quais os benefícios de trabalhar como assistente virtual?

– Ter seu próprio negócio significa não depender de chefe e ter mais liberdade para gerenciar seu tempo. Isso permite conciliar vida profissional e pessoal.

– Com dedicação, é possível ter uma renda igual ou superior a empregos formais, com a vantagem de trabalhar no conforto de casa.

– Não tem hora para entrar ou sair do trabalho. Cabe a você administrar seu tempo da melhor forma para atender prazos.

– Pode aproveitar para viajar e trabalhar de qualquer lugar com internet, sem precisar tirar férias.

– Maior controle sobre quanto cobrar pelos seus serviços. Com experiência, é possível aumentar seus honorários.

– A flexibilidade de horários é um dos maiores atrativos de ser assistente virtual. 

6- Os clientes procuram por habilidades específicas?

Em alguns casos sim. Veja o que os clientes mais procuram varia de acordo com a área de atuação:

– Para assistente administrativo: precisar saber usar ferramentas de produtividade (como Google Workspace), ter conhecimento em atendimento ao cliente e gestão de e-mails.

– Para assistente financeiro: é válido ter domínio de Excel, experiência com emissão de notas fiscais e boletos, fluxo de caixa, etc. 

– Para secretariado remoto: ter formação em secretariado é uma grande vantagem, bem como conhecimento dos softwares usados nessa área.

7- Quais ferramentas são fundamentais para uma AV?

Trabalhar como assistente virtual requer o uso de diversas ferramentas para gestão de tempo, projetos e comunicação. Você pode conferir esse assunto detalhadamente em As Ferramentas Como Aliadas na Produtividade e Gestão no dia-a-dia de uma AV. 

Algumas ferramentas populares possuem pacotes gratuitos, mas com recursos limitados. Já os pacotes pagos costumam oferecer mais funcionalidades. Alguns exemplos:

– O Trello tem versões gratuitas e pagas com mais recursos para equipes maiores. 

– O Slack possui uma versão gratuita, mas a versão paga inclui mais integrações e armazenamento de mensagens.

– O Zoom tem um plano básico gratuito e planos pagos com mais participantes, duração das reuniões e recursos.

– A Asana e o Monday possuem versões gratuitas com recursos básicos, sendo as versões pagas mais completas.

Muitas ferramentas também oferecem testes grátis por um período determinado. Isso permite testar os recursos antes de decidir pela versão paga.

8- Como definir o preço do seu trabalho?

– Avalie seus custos: equipamentos, software, despesas de trabalho.

– Entenda o nível de experiência e habilidades que você possui.

– Avalie a importância dos resultados gerados para o cliente.

– Avalie os preços de mercado, ou seja valores cobrados por outros assistentes virtuais.

Defina uma taxa mínima para cobrir custos da sua operação, esse é um bom ponto de partida para seu valor final. Fazer uma pesquisa de mercado ajuda a ter noção de preços.

9- Como fechar e negociar um contrato com um cliente?

– Explique de forma clara seus preços e o que eles incluem.

– Mostre confiança no valor do seu trabalho.

– Seja flexível, mas evite trabalhar por muito menos do que vale.

– Ofereça descontos para projetos de longo prazo ou clientes frequentes.

– Argumente os benefícios que seu serviço trará.

– Negocie, mas saiba dizer não se o preço for inviável.

10- Onde encontrar clientes?

Redes sociais, indicações e networking

As redes sociais são ótimas para fazer contatos, interagir e se aproximar das pessoas. Procure grupos e comunidades nas redes sobre o seu nicho de atuação para divulgar o seu trabalho. 

Peça indicações para amigos, familiares e antigos colegas de trabalho. Participe de eventos e encontros para ampliar sua rede de networking. 

Sites e comunidades especializadas

Existem diversos sites e comunidades online especializadas em trabalhos freelance. Neles você consegue se cadastrar e receber propostas de projetos de clientes que buscam prestadores de serviço. 

Alguns exemplos são Workana, GetNinjas, Freelancer, Upwork, entre outros. Vale a pena se inscrever nesses sites, preencher seu perfil da melhor forma e ficar atenta às oportunidades.

Quanto maior e mais qualificada for sua rede, mais chances de ser indicada e conseguir clientes.

11- Qual atividade de MEI se encaixa com a Assistência Virtual?

Essa informação está explicada em detalhes no vídeo Tudo sobre MEI, preparado especialmente para esclarecer tudo sobre como cuidar do seu negócio.

12- O que é mais importante habilidade técnica ou comportamento na carreira de AV?

Muitas pessoas acham que para ser assistente virtual basta ter conhecimento técnico. Mas na verdade, as habilidades comportamentais são tão ou mais importantes que as técnicas, e exigem maior autoconhecimento e esforço contínuo para serem aprimoradas

Isso porque boa parte do trabalho envolve comunicação, relacionamento interpessoal e gerenciamento próprio. Por isso, ter disciplina, ser organizado e saber se comunicar bem, pode fazer toda diferença no dia a dia.

A carreira de assistente virtual oferece diversos benefícios financeiros e qualidade de vida que podem ser difíceis de alcançar em empregos tradicionais.

Trabalhar online é o presente e o futuro.

Comenta aqui abaixo se você se identifica com esse estilo de vida, e se possui mais alguma dúvida sobre a profissão de Assistente Virtual.

Publicações relacionadas

7 dicas para ter uma comunicação mais assertiva com seus clientes

7 dicas para ter uma comunicação mais assertiva com seus clientes

Desenvolvimento Pessoal
Atendimento Eficiente em Secretariado Remoto: Estratégias para Satisfazer e Manter Clientes

Atendimento Eficiente em Secretariado Remoto: Estratégias para Satisfazer e Manter Clientes

Mercado de Trabalho
O curso da Camile Just me abriu portas!

O curso da Camile Just me abriu portas!

Trabalhar em Casa